terça-feira, 30 de setembro de 2008

CLIENTE: BAR CHARLES EDWARD












Newsletter desenvolvido pela Dália Comunicação para o Bar Charles Edward

CLIENTE: BAR CHARLES EDWARD


Convite de aniversário de 13 anos do Bar Charles Edward, desenvolvido pela Dália Comunicação.

CLIENTE: BAR CHARLES EDWARD



Convite desenvolvido pela Dália Comunicação para festa de 50 anos da Bossa Nova no Bar Charles Edward








domingo, 28 de setembro de 2008

ASSESSORIA PROPAGANDA - CLIENTE: GALERIA PROPAGANDA

Helbor e Company Empreendimentos realizam ação promocional em estacionamentos

Ação divulga o lançamento do residencial Acqualife

A agência Archote desenvolveu para o seu cliente Helbor e Company Empreendimentos uma ação promocional em estacionamentos comerciais de São Paulo.

Durante três dias, promotoras distribuirão pequenas garrafas d´água para os motoristas com um rótulo personalizado, que chamam atenção para o lançamento do residencial Acqualife.

As garrafas foram distribuídas nos estacionamentos ICO, dos edifícios comerciais Robocop, Torre Sul, JDA e Edifício Beatriz. Todos comercializados pela empresa de mídia Galeria Propaganda, que desenvolve projetos de mídia indoor em cerca de 50 estacionamentos.

Mais informações sobre mídia na rede de estacionamentos ICO, envie um e-mail para contato@galeriapropaganda.com.br ou ligue para (11) 2507-0300.

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

ASSESSORIA DE IMPRENSA - CLIENTE: GALERIA PROPAGANDA


Galeria Propaganda desenvolve nova opção de mídia indoor em São Paulo

Estacionamentos de edifícios comerciais se tornam opção interessante de mídia

Desde a proibição dos painéis urbanos na cidade de São Paulo, anunciantes estão atrás de novas opções de mídia para alcançar o exigente público paulistano, formador de opinião.

A Galeria Propaganda, junto com a rede de estacionamentos ICO, desenvolveu espaços publicitários em cerca de 50 edifícios localizados em centros comerciais de São Paulo.

Entre os formatos de mídia estão: adesivação do chão, parede, balcão do caixa, colunas, testeiras e cancelas. Também é possível a utilização de banners, instalação de stands, samplings e se necessário, acionar a equipe especial da Galeria Propaganda para desenvolvimento de projetos especiais.

Os espaços são comercializados em circuitos. Entre eles, destacam-se as regiões do Brooklin, Itaim Bibi/Jardins, Avenida Paulista, Vila Mariana, Zona Oeste e Vila Olímpia.

Segundo Mauro Bignardi, diretor da Galeria Propaganda, o público que circula nesta rede de estacionamentos é formado em sua maioria por gerentes, diretores e presidentes de empresas. “Nos edifícios dos circuitos passam cerca de 60 mil pessoas diariamente e a sua maioria são formadores de opinião”, acrescenta.

Além da parceria com a ICO Estacionamentos, a Galeria Propaganda ainda explora espaços de mídia exterior na região do Aeroporto Internacional de Cumbica.

Mais informações sobre este novo projeto, acesse o site http://www.galeriapropaganda.com.br/ ou ligue para (11) 2507-0300.



domingo, 21 de setembro de 2008

JORNAL ALPHA AUTOS NO SALÃO DA MOTOCICLETA


A equipe do jornal Alpha Autos confirmou presença na cobertura do Salão da Motocicleta, que será realizado este ano no Expo Center Norte entre os dias 21 e 26 de outubro.
Mais informações sobre o evento no site: http://www.salaodamotocicleta.com.br/home/index.php

JORNAL ALPHA AUTOS NA FEIRA AUTOMEC PESADOS & COMERCIAIS


A equipe de jornalismo do jornal Alpha Autos já confirmou presença na feira AUTOMEC PESADOS & COMERCIAIS, que será realizado no pavilhão de exposições do Anhembi entre os dias 07 a 11 de outubro.

Em breve, informações no principal jornal automotivo da região oeste de São Paulo.

Mais informações sobre o evento, visitem o site: http://www.automecpesados.com.br/

ALPHA AUTOS 33ªEDIÇÃO - MATÉRIA CAPA


Novo Ford Focus: a mais nova geração chega ao Brasil
Totalmente novo, é uma evolução em busca da perfeição

Imprensa Ford

O Novo Ford Focus, que traz ao Brasil a mais atual tendência mundial de design e tecnologia, é a terceira geração de um ícone da indústria automobilística. Um carro novo em todos os sentidos, criado a partir de um DNA forte, que oferece a mais completa linha de carros médios, com modelos de 4 e 5 portas e a melhor proposta de compra no segmento.


O lançamento do Novo Ford Focus na América do Sul, simultaneamente à Europa, é um marco na indústria automobilística brasileira. Projetado sobre uma nova plataforma global, oferece grande aproveitamento de espaço interno e muito conforto. O Novo Ford Focus recebeu uma carroceria moderna que prima pela sofisticação no modelo Sedan e pela esportividade no Hatch.
Seu design é arrojado, sem perder a funcionalidade. O exterior se destaca pelo porte, beleza e linhas arrojadas. O interior possui excelente ergonomia e altíssimo padrão de qualidade nos seus materiais, garantindo um refinamento superior na categoria.

As tecnologias de última geração presentes no Novo Ford Focus são voltadas para o conforto, a segurança e a qualidade de condução. Ele introduz no segmento o Ford Power – partida sem chave; ar-condicionado automático e digital com controle individual de temperatura para o motorista e o passageiro; computador de bordo com múltiplas funções; sensor de estacionamento traseiro; sistema de som Sony com MP3, entrada auxiliar, USB, conexão para iPod e Bluetooth. Conta ainda com o novo comando de voz para telefone, rádio e ar-condicionado.
Na parte de segurança, o Novo Ford Focus traz de série freios ABS equipados com distribuição eletrônica da força de frenagem (EBD) e controle de frenagem em curvas (CBC); um sistema de luzes de alerta em frenagens com alta desaceleração; faróis halógenos de grande poder de iluminação; e espelhos retrovisores externos com dupla curvatura, aquecidos e com piscas integrados, que evitam o embaçamento e reduzem os pontos cegos.
A dirigibilidade do Novo Ford Focus é aprimorada pelo sistema de direção com assistência eletro-hidráulica, que conta com três opções de condução (Normal, Conforto e Esporte); pela suspensão dianteira e traseira independentes, com buchas hidráulicas; e pela transmissão automática seqüencial de 4 velocidades, que permite operar no modo automático ou no modo manual seqüencial.
Além dessas novidades, o Novo Ford Focus oferece uma ampla oferta de equipamentos, como teto solar elétrico, piloto automático, abertura elétrica do porta-malas e da tampa de combustível, console dianteiro com descansa-braço integrado, coluna de direção ajustável e bancos em couro.

ALPHA AUTOS 33ªEDIÇÃO - ALPHA NOTÍCIAS

Por Sérgio Dias

Fiat Linea já esta entre nós
O lançamento reconduz a Fiat Automóveis ao segmento dos sedans médios. O Fiat Linea é a mais pura tradução da modernidade e da eficiência de uma empresa engajada em oferecer sempre o melhor. O novo modelo é um projeto mundial da Fiat, desenvolvido para competir em vários países, mas que no Brasil recebeu características desejadas pelo mercado nacional, com incrementos em tecnologia e sofisticação.


Ford lançou o “My Connection”
A Ford lançou em agosto, em sua linha de veículos 2009 o My Connection, um novo equipamento de som que concentra os recursos mais modernos de conectividade existentes no mercado, que permitem ao cliente conectar-se a seu celular, iPod e pen drive, traduzindo toda a comodidade e praticidade que os clientes esperam de um veículo.

Voyage é o nome do novo sedan da Volkswagen
A Volkswagen do Brasil está preparando o lançamento do Voyage. Os principais atributos do modelo são o excelente espaço interno, conforto e versatilidade. O carro apresenta linhas e proporções harmoniosas, que dão ao sedan um toque de requinte, esportividade e originalidade.

Mais de 270 expositores confirmados para feira internacional
Há pouco menos de três semanas de sua realização, a AUTOMEC PESADOS & COMERCIAIS 2008 , que ocorre de 7 a 11 de outubro, no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo, já possui mais de 270 expositores confirmados. Dirigida a um mercado que tem crescido muito nos últimos anos, "a segmentação pode oferecer mais oportunidade de negócios para expositores e visitantes", observa Theophil Jaggi, conselheiro do SINDIPEÇAS (Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores).

ALPHA AUTOS 33ªEDIÇÃO - ALPHA SERVIÇOS

Zonas de deformação: o que faz e para que serve?

Sistema dá mais segurança aos ocupantes do veículo

Colaborou: Sérgio Vamprey

As zonas de deformação programada são algumas partes específicas do veículo com uma capacidade de ceder mais facilmente aos danos causados por uma colisão, preservando o habitáculo do veículo e assim aumenta a segurança dos seus ocupantes. As estruturas dianteira, traseira e lateral da carroçaria possuem estas zonas de deformação programada. As peças metálicas destinadas a esta proteção estão nas extremidades dos veículos e proporciona proteções frontal, lateral e traseira.

Nos veículos existem dois conjuntos que evidenciam bastante a zona de deformação programada: as longarinas dianteiras e traseiras. Longarinas é cada uma das vigas horizontais de aço sobre as quais fica a carroçaria. Elas são um dos componentes que constituem a carroçaria de um veículo e nelas são montados os suportes ao motor, as caixas de rodas e todo o conjunto de suspensão.

Como são produzidas as zonas de deformação programada?

As partes que recebem a aplicação de força são extraídos de soldaduras produzidas com energias crescentes, em aços de alta resistência e em ligas de alumínio. As soldas são realizadas pelos processos MIG (metal inert gas) convencional e MIG com corrente pulsada para os aços carbono, ligas de alumínio e aços inoxidáveis, respectivamente. A resistência das diversas zonas de soldas será obtida através de ensaios. Durante estes ensaios, a capacidade de deformação plástica das diversas zonas de solda serão registradas através de um instrumento próprio para medir deformações chamado extensômetro elétrico e mecânico, colados nas diferentes zonas para avaliar a deformação global.

Em quais veículos existe esta tecnologia?

Todo o veículo produzido pela moderna indústria automobilística utiliza esta tecnologia. Tanto o veículo chamado de popular quanto o top de linha, sem exceção. Isto ajuda a garantir a segurança dos seus ocupantes.

ALPHA AUTOS 33ªEDIÇÃO - ALPHA MOTOS


Honda Pop 100 2009: econômica e fácil de pilotar

Novo modelo já atende ao Promot 3

Imprensa Honda

Chega às concessionárias de todo o país a Pop 100 modelo 2009, que atende, em níveis bem abaixo, aos índices de emissão (CO/HC/NOX) que determina o Promot 3 (Programa de Controle da Poluição do Ar por Motociclos e Veículos Similares), previsto para entrar em vigor no país em janeiro de 2009.A identidade visual da Pop 100 também foi renovada. A nova cor cinza, em lugar da amarela, transmite imagem monocromática ao modelo. Lançada no Brasil em janeiro de 2007 com a proposta de ser uma opção ágil, versátil e econômica de transporte, a caçula da Honda já conquistou uma significativa fatia do mercado.



Motor econômico e eficienteVersátil, a Pop 100 pode ser utilizada no dia-a-dia tanto como meio de transporte quanto como instrumento de trabalho, sempre com agilidade e economia. O câmbio de quatro marchas teve seu pedal modificado, facilitando o acionamento e contribuindo com o conforto na pilotagem.
A Pop 100 foi desenvolvida com especial atenção ao conforto do piloto e do garupa. O guidão alto contribui com uma pilotagem mais confortável e prazerosa. O transporte de objetos é facilitado pela presença de resistentes alças laterais.

Apesar das melhorias, a nova Honda Pop 100 teve seu preço mantido: R$ 3.990,00 (base no Estado de São Paulo), sem despesas de frete e seguro. O modelo 2009 está disponível nas cores vermelha, azul, preta e cinza. A garantia é de um ano, sem limite de quilometragem.


ALPHA AUTOS 33ªEDIÇÃO - ALPHA ESPORTES


Na chuva, surge uma estrela

Sebastian Vettel é o mais novo vencedor da Fórmula 1

Por Edmur Hashitani


Apesar do domínio alemão na ponta, no pelotão do meio a prova foi mais disputada. Largando do fim do grid, Lewis Hamilton veio atropelando todo mundo, mostrando arrojo e até uma dose de irresponsabilidade, ao jogar o carro para cima de seus adversários por três vezes. Timo Glock, Fernando Alonso e Mark Webber foram vítimas da audácia do piloto da McLaren, que conseguiu chegar em sétimo, marcando dois pontos. Felipe Massa foi o sexto e agora está há apenas um ponto do inglês, que lidera o campeonato.
Quem ficou devendo uma boa explicação para a equipe foi Heikki Kovalainen. Enquanto seu companheiro sobrava na pista, o finlandês não conseguiu acompanhar o ritmo de Vettel e não ameaçou a prova do alemão nenhuma vez. Acabou ficando com o segundo lugar, seguido por Robert Kubica. Curiosamente, os três ocupantes do pódio foram os que venceram corridas pela primeira vez nesta temporada.
Sebastian Vettel, alemão de Heppenheim, uma cidadezinha com pouco mais de 25 mil habitantes, é a nova sensação da Fórmula 1. Com apenas 21 anos e 73 dias, se tornou o piloto mais jovem vencer um GP, o de Monza, na última semana. Juntos, vieram os recordes de mais novo no pódio e na pole-position. As comparações, apesar de recusadas pelo piloto, são inevitáveis. Porque Vettel fez, sim, uma corrida de Schumacher. Largou na pole, disparou, não foi ameaçado e, no pódio, hino alemão seguido do italiano. Não há como não comparar.
Na seqüência do campeonato será disputado o 1º GP de Cingapura, primeira prova noturna na história da categoria.


JORNAL ALPHA AUTOS - 33ª EDIÇÃO

ANUNCIANTES DESTA EDIÇÃO

FEIRA DO AUTOMÓVEL RECENCO
www.feiradeveiculos.com.br


FEIRÃO BANCO ITAÚ - BARUERI/SP


GOLDEN CAR
www.goldencarautomoveis.com.br


GATTI VEÍCULOS
www.gattiveiculos.com.br


SANDRO CAR
Av. Hildebrando de Lima, 34 - Quitaúna


BERTINI AUTOMÓVEIS
http://bertiniautomoveis.com.br/


FIAT AUGURI
http://www.augurifiat.com.br/


MULTIPLICAR AUTOMÓVEIS
multiplicarveiculos@terra.com.br


ÁQUILA MOTOS
http://www.aquilamotos.com.br/


ZANEX AUTOMÓVEIS
www.zanexautomoveis.com.br


ALPHA PRIME - Corretora de Seguros
Calçada das Margaridas, 110 2ªandar - Centro Comercial


COMMIT CORPORATE SEGUROS
www.commitseguros.com.br


SAMURAI MULTIMARCAS
www.samuraimultimarcas.com.br


RM RADIADORES
http://www.rmradiadores.com.br/


TREND MOTOS
Av. Henriqueta M. uerra, 704 - Centro Barueri


MADRI MULTIMARCAS
www.madrimultimarcas.com.br

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

ALPHA AUTOS 32ªEDIÇÃO - MATÉRIA CAPA


A pick-up campeã de vendas chega com novo visual e mais equipamentos inéditos

Há oito anos sua história é marcada por inovações e ousadia

Imprensa Fiat

A pick-up campeã de vendas Fiat Strada chega ao consumidor brasileiro totalmente renovada e com novos e inéditos equipamentos para o seu segmento. Seu estilo agora segue o da Família Palio – mas com uma identidade própria –, enquanto a mecânica recebeu novidades que a tornam mais robusta e moderna. Ela foi criada a pedido dos consumidores, em 1999, e tem importante participação nas vendas do modelo. Em 2001, com o lançamento da versão Adventure, a Fiat Automóveis trouxe para a gama um veículo diferenciado, com mais esportividade e robustez.

Todo este ganho em tecnologia e estilo é a prova de que a Fiat Automóveis busca, sempre, oferecer aos seus clientes o que há de melhor e mais moderno no mercado. Agora a linha 2009 do Fiat Strada traz como um dos destaques o Locker, sistema de bloqueio de diferencial, que fez sua estréia no Fiat Palio Adventure. Outra novidade na linha 2009 do Fiat Strada encontra-se na caçamba, que passa a ter uma nova tampa traseira, agora removível e com chave. Também traz uma nova fixação do estepe na cabine estendida.

Design jovial e robusto

Um visual coerente com o “family feeling Fiat”, mas individualizado para ressaltar as características de robustez e jovialidade do modelo: assim são as linhas do novo Fiat Strada. 

Evidentemente, o que mais distingue em uma pick-up é sua traseira. A ampla caçamba recebeu, além do novo logotipo Fiat ao centro, uma nova tampa: removível e com chave, é mais prática e segura. O largo pára-choque traseiro, que emoldura a caçamba, se funde, na lateral, com as molduras das caixas de roda, aumentando o “size-impression” do modelo. Já as soleiras das portas, maçanetas e espelhos retrovisores externos conferem à pick-up um ar forte e decidido. A dianteira acompanha os contornos e detalhes da nova Família Palio, com novo capô e mecanismo de abertura. Os faróis polielípticos, de formato ovalado, são feitos de policarbonato e têm dupla parábola. Canhões negros e molduras cromadas, nas versões Trekking, dão um ar agressivo ao modelo.

Internamente, o novo Fiat Strada aparece aprimorado, com um habitáculo generoso onde o espaço é aproveitado racionalmente e o conforto é fundamental. Ele recebeu novos tecidos de acabamento e cores, deixando-o ainda mais agradável. Também há novos porta-objetos: um na parte central inferior do painel; outro móvel, tipo “copinho”; e um porta-óculos. Eles ajudam a manter os pertences do motorista organizados, protegidos e acessíveis.

Sete versões para todas as necessidades

A nova pick-up Fiat Strada está disponível em cinco opções, com duas motorizações, duas versões de acabamento e cabines simples ou estendida (a versão de entrada, Fire, se mantém com a carroceria anterior). Isso garante sempre ao cliente Fiat uma escolha que se adequa ao seu orçamento e às suas necessidades.

ALPHA AUTOS 32ªEDIÇÃO - ALPHA NOTÍCIAS

Sérgio Dias


Volkswagen ameaça liderança da Fiat no Brasil

A disputa pelo mercado brasileiro de carros novos acirrou-se em agosto. Com o novo Gol, lançado em julho, a Volkswagen vem recuperando terreno sete anos após perder o posto de número um na lista de maior montadora em vendas no País.
Ao
mesmo tempo em que lançou a nova geração, a Volks oferece bônus para o Gol antigo, vendido a R$ 25,2 mil. No fim do ano, a montadora vai baixar ainda mais esse preço, informam lojistas. A Fiat, que oferecia o Mille a R$ 23,7 mil, lançou na semana passada uma versão com sistema que permite maior economia de combustível, a um preço R$ 500 mais baixo que o anterior.

Produção e vendas de veículos caem em agosto

Pela primeira vez desde maio deste ano, a produção e as vendas de veículos no mercado brasileiro apresentaram queda na comparação mensal. Segundo dados divulgados pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), as vendas de veículos no mercado brasileiro somaram 244,8 mil unidades em agosto, o que representa uma queda de 15,1% em relação a julho. Já na comparação com igual mês do ano passado, houve uma alta de 4%. Com o resultado, no acumulado do ano até agosto, foram comercializados 1,94 milhão de veículos, o que representa uma expansão de 26,4% ante igual período do ano passado.
Ainda segundo a entidade, a produção de veículos caiu 1% em agosto em comparação com julho, para 314,7 mil unidades. Porém, em relação a agosto de 2007, a produção foi 12,6% maior. Nos primeiros oito meses do ano, foram produzidas 2,32 milhões de unidades, com alta de 20,3% sobre igual intervalo de 2007. As exportações totalizaram US$ 1,33 bilhão em agosto, o que significa um aumento de 7,6% em relação a julho e de 6,8% ante agosto de 2007. No período acumulado até agosto, as vendas externas somam US$ 9,44 bilhões, com alta de 9,1% sobre o mesmo período do ano passado.

Com aumento de 82% no acumulado do ano, Renault se destaca no mercado nacional

Enquanto o mercado nacional de veículos começa a apresentar uma redução no ritmo de crescimento, a Renault do Brasil continua com um desempenho de vendas crescente e superior à média do setor. De janeiro a agosto de 2008, a marca comercializou 79.273 veículos, alcançando 82% de crescimento em relação ao mesmo período de 2007 (43.532 unidades). Em quinto lugar no ranking nacional de vendas, a Renault vem apresentando um rendimento três vezes maior do que o mercado automotivo, que elevou as vendas em 26% neste ano. A participação de mercad o da Renault em 2008 é de 4,3%

PSA Peugeot Citroën supera a marca de 100.000 veículos comercializados no                                ano no Brasil

Com o bom desempenho de agosto, quando comercializou 12.124 veículos de  suas  duas  marcas,  a  PSA  Peugeot Citroën superou a marca de 100.000 carros  e comerciais leves vendidos no Brasil em 2008. No total, de janeiro a  agosto,  já  foram comercializados 103.675 veículos das marcas Peugeot e Citroën  no  país. Este resultado é mais uma demonstração do crescimento em ritmo  acelerado  que  o  Grupo  PSA  vem registrando no mercado nacional e consolida cada vez mais a empresa como a quinta maior montadora do Brasil e a primeira entre as “newcomers” (como são chamadas as montadoras instaladas
no país a partir dos anos 90).

O desempenho da PSA Peugeot Citroën no acumulado do ano representa um crescimento  de  33,8%  em  comparação  aos  77.514  carros  de  passeio  e comerciais  leves  vendidos pela empresa entre janeiro e agosto de 2007. No mesmo período o mercado nacional registrou uma evolução média de 26,4%. 

ALPHA AUTOS 32ªEDIÇÃO - ALPHA SERVIÇOS

Regulamentada Lei que restitui IPVA de veículos roubados no Estado de São Paulo

Pagamentos ocorrem durante o ano de 2009

Imprensa Secretaria da Fazenda

 A Lei 13.032, que dispensa o pagamento do IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores) aos motoristas que tiverem os veículos roubados ou furtados em solo paulista, foi regulamentada de acordo com decreto publicado dia 27/08 no Diário Oficial do Estado.

A nova regra garante ao contribuinte a dispensa proporcional do pagamento do IPVA, a partir do mês seguinte ao da ocorrência do fato, à razão de 1/12 (um doze avos) por mês do valor do imposto devido ao Estado. Caso o IPVA já tenha sido pago, o proprietário terá direito a restituição.

Basta que a vítima de roubo ou furto do veículo registre o boletim de ocorrência para ter direito ao benefício previsto pela lei. Como todo o sistema é informatizado, o registro da ocorrência policial ativa um bloqueio no Departamento Estadual de Trânsito (Detran) - que repassa as informações para a Secretaria da Fazenda, a qual por sua vez autorizará a dispensa do IPVA.

No caso de recuperação do veículo que foi furtado ou roubado, volta a ser devido o IPVA no exercício em que ocorrer a recuperação, proporcionalmente aos meses que restarem até o final do respectivo ano, à razão de 1/12 por mês.

A divulgação da relação dos contribuintes com direito ao ressarcimento e o respectivo valor da restituição será feita até o dia 28 de fevereiro do ano seguinte ao da ocorrência do furto ou roubo.

Conforme prevê a Lei 13.032, o valor proporcional das restituições será deduzido das receitas dos municípios.

Segundo o Secretário Estadual da Fazenda, Mauro Ricardo Costa, a medida "atende ao interesse público". A frota de veículos no estado de São Paulo chega a 16 milhões. Desse total, cerca de 11 milhões são tributáveis, ou seja, recolhem o IPVA. O restante está isento, por terem mais de 20 anos de fabricação ou por se tratar de veículos pertencentes a taxistas, deficientes físicos, partidos políticos, igrejas, entidades sem fins lucrativos ou veículos oficiais. A Secretaria da Fazenda prevê arrecadar cerca de R$ 7 bilhões com o IPVA em 2008.

Com a medida cerca de 170 mil contribuintes devem ser beneficiados. Mais informações através do site www.fazenda.sp.gov.br

ALPHA AUTOS 32ªEDIÇÃO - ALPHA MOTOS

Yamaha lança FZ6 N E FZ6 S 2009, agora Made in Brasil

O caráter esportivo do conjunto e as saídas do escape sob o banco são "marcas registradas" no segmento em todo o mundo

Imprensa Yamaha

As motocicletas Yamaha FZ6 N e FZ6 S reúnem as principais virtudes desejáveis em modelos desse segmento como um propulsor compacto, um chassi moderno e um design arrojado, com visual herdado dos modelos esportivos da linha "R" da Yamaha.

O projeto dos modelos demonstra a preocupação dos engenheiros da Yamaha em unir a estética à funcionalidade, prova disso está no desenho de um painel desenvolvido para reduzir a turbulência e ruído do vento, um tanque de combustível exclusivo projetado em CAD com capacidade de 19,4 litros, assento da garupa com alças laterais e pedaleiras mais elevadas em alumínio e compartimento sob o banco para acomodar as ferramentas e trava de roda.

O motor quatro tempos de 600 cc, arrefecido a líquido, é o mesmo utilizado na superesportiva Yamaha YZF-R6 - com cerca de 35% da potência reduzida, para adequação a proposta do modelo, que utiliza um propulsor quatro cilindros em linha e comando no cabeçote do tipo DOHC com 16 válvulas, que desenvolve 98 cv de potência a 12.000 rpm com um torque de 6,44 kgf.m a 10.000 rpm.

O escapamento é do tipo quatro em dois com um desenho que remete aos escapes da família "R", apresentando uma excelente distribuição de peso ao longo da motocicleta, terminando com suas duas ponteiras sob o assento da garupa. A transmissão de seis velocidades tem acionamento triangular, ela aumenta a precisão nas trocas de marchas, além de permitir engates rápidos.

FZ6 N e FZ6 S 2009, versões exclusivas do mercado nacional

O modelo FZ6 N 2009, Made in Brazil, é semelhante a FZ6 S2 comercializada na Europa, enquanto a FZ6 S 2009 é como a FZ6 Fazer S2 negociadas atualmente na Europa, e que em relação as FZ6 e FZ6 Fazer passaram por modificações e melhorias que lhes conferiram caráter mais esportivo em 2007. 

As Yamaha FZ6 N e S estão de acordo com a licença para uso da configuração de Ciclomotores, Motocicletas e Similares (LCM), certificação do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), por meio do Programa de Controle da Poluição do Ar por Motociclos e Veículos Similares (PROMOT) agora em sua terceira fase (Promot3) que passa a vigorar em janeiro de 2009.

A FZ6 N está disponível em duas cores; preta ou prata, enquanto a FZ6 S é comercializada somente na cor azul. Ambos os modelos têm um ano de garantia sem limite de quilometragem. O preço público sugerido, posto Manaus, Amazonas, sem frete e seguro, com óleo incluso é de R$ 33.800,00, para a FZ6 S, e de R$ 32.000,00, para a FZ

ALPHA AUTOS 32ªEDIÇÃO - ALPHA ESPORTES

Valdeno Brito vence corrida milionária na Stock

Paraibano garante classificação, primeira vitória e casa em Londrina

Matéria: Edmur Hashitani / Foto: Fábio Oliveira - BeePress

Valdeno Brito é o mais novo milionário do país. O paraibano de 34 anos venceu a sétima etapa do campeonato brasileiro de Stock Car, chamada de A Corrida de Um Milhão de Dólares e que distribuiu o maior prêmio do esporte nacional.

Único representante do nordeste brasileiro na Stock, Brito não teve vida fácil para garantir a bolada. Pilotando o carro 77 da equipe Medley / A.Mattheis, ele passou por dificuldades no início da prova, que teve início ainda com pista molhada. Largando na terceira posição, ele não conseguiu acompanhar o ritmo dos líderes Cacá Bueno e Allam Khodair, e à medida que o traçado ia secando, a pressão de Antônio Jorge Neto aumentava.

No mesmo grupo, Ingo Hoffman, Luciano Burti e Thiago Camilo lutavam por posições, até Burti tocar Ingo. Burti voltou a se envolver em um acidente, tocando Jorge Neto, que rodou. O paulista acabou recebendo uma advertência, mas não foi punido.

O cenário só começou a mudar a partir do primeiro pit stop. A segunda parte da corrida foi marcada pelo conservadorismo da maioria dos pilotos, que guardavam equipamento para o final da prova. Cacá Bueno liderava com folga e as poucas mudanças ocorreram em função do abandono de seu companheiro, Jorge Neto, com problemas eletrônicos. Outra mudança após a parada foi o aparecimento de Alceu Feldman na segunda posição. Largando na 25ª posição, ele assumiu riscos e foi o único a sair com pneus para pista seca.

Quando a segunda janela de paradas teve início, Valdeno Brito começou a voar baixo e reduzia a diferença para Cacá Bueno a cada volta, até o carro do carioca apresentar problemas na bomba de gasolina. Brito se aproveitou da falha mecânica de seu rival e assumiu a liderança para garantir sua primeira vitória na carreira. De quebra, o paraibano garantiu a classificação antecipada para a fase de playoffs da categoria.

O pódio foi completado por Luciano Burti, da Sky Racing, e o novo líder do campeonato, Marcos Gomes, da Medley / A.Mattheis.

Sobre o prêmio, o vencedor afirmou que o dinheiro será dividido em três partes. Uma para a equipe, outra para alguns patrocinadores e a terceira para terminar de construir sua casa em Londrina. Valdeno ainda recebeu mais R$ 40 mil da Chevrolet e da organizadora do campeonato.

Rápidas

Massa voltou de vez à briga pelo título da Fórmula 1, ao vencer a prova de Valência, no dia 24 de agosto. Agora, o brasileiro está apenas 6 pontos atrás de Hamilton. No entanto, a Ferrari está sendo olhada com desconfiança, já que mais uma vez um motor não resistiu até o fim da corrida. O propulsor de Kimi Räikkönen estourou faltando 12 voltas para o término do GP.

 

Na Indy, Justin Wilson venceu e deixou Castroneves mais longe do título. A vitória foi dada após uma decisão errada da direção de prova, que puniu o brasileiro por fechar o inglês duas vezes. A manobra só foi reprisada após o encerramento da prova, mostrando que o piloto da Penske moveu-se apenas uma vez. Agora Hélio precisa vencer a corrida e torcer para que o líder Scott Dixon chegue apenas em décimo, para faturar o campeonato.

 

Na etapa inaugural da Fórmula Superliga, o Flamengo, pilotado pelo brasileiro Tuka Rocha subiu ao pódio na segunda bateria. Já o Corinthians, que teve o carro guiado pelo espanhol Andy Soucek abandonou as duas provas. Para o restante da temporada, Antônio Pizzonia assumirá o bólido de Pq. São Jorge. Na classificação geral, o time da Gávea está em 7º e o Corinthians em 14º. As provas foram vencidas por Beijing Guoan da China e Sevilla da Espanha.

JORNAL ALPHA AUTOS - 32ª EDIÇÃO

ANUNCIANTES DESTA EDIÇÃO

MADRI MULTIMARCAS

FEIRA DO AUTOMÓVEL RECENCO

GOLDEN CAR

GATTI VEÍCULOS

SANDRO CAR
Av. Hildebrando de Lima, 34 - Quitaúna

BERTINI AUTOMÓVEIS

ABA MOTORS

RHOLDEN SEMINOVOS

FIAT AUGURI

MULTIPLICAR AUTOMÓVEIS
multiplicarveiculos@terra.com.br

ÁQUILA MOTOS

ZANEX AUTOMÓVEIS
Av. dos Autonomistas, 5765

SAMURAI MULTIMARCAS

ÁLBUM DE FIGURINHAS STOCK CAR - PANINI

SORECAR
Av. dos Autonomistas, 5261

KIA KOREA

RM RADIADORES

GRAND BRASIL FIAT

GARINNI MOTORS








terça-feira, 9 de setembro de 2008

Jornal Alpha Autos prepara caderno especial para a F1

Leitores terão resumo das principais informações do evento 

Faltando dois meses para o Grande Prêmio Brasil de Fórmula 1, o Jornal Alpha Autos iniciou a preparação de um caderno especial com 8 páginas, com dicas e informações sobre o maior evento automobilístico do mundo e circulação prevista para 1º de novembro.

Um dos fatores que motivaram a criação deste caderno especial foram as solicitações dos leitores da coluna Alpha Esportes. “Recebemos alguns e-mails dos leitores da coluna Alpha Esportes solicitando algo diferenciado durante o período da corrida”, informa Sérgio Dias, editor do jornal. “Mas isto já era um projeto que tínhamos desde o inicio do ano”, completa.

O caderno terá espaços publicitários onde os anunciantes poderão vincular sua marca com o assunto que estará em todas as conversas no final de semana: fórmula 1. Um ótimo momento para valorizar a marca e aproveitar o potencial dos consumidores, leitores do jornal.

O Alpha Autos se tornou em uma mídia alternativa e eficiente para os anunciantes que buscam públicos diversos, com poder de consumo para financiar a compra de veículos e motocicletas.

Com tiragem de 10 mil exemplares e periodicidade quinzenal, o jornal é distribuído gratuitamente em semáforos e pontos fixos na região oeste de São Paulo, nos bairros do Butantã, Ceasa, Leopoldina, Jaguaré e nas cidades de Osasco, Barueri (Alphaville), Carapicuíba, Jandira e Itapevi.

O jornal Alpha Autos é um produto da empresa Dália Comunicação. Quem precisar de informações ou deseja receber um exemplar gratuitamente, entre em contato pelo e-mail daliacomunicacao@terra.com.br.

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

ASSESSORIA PHARELO


Nosso trabalho de Assessoria de Imprensa do Bar Pharelo tem dado resultados. Em pouco mais de 2 meses de contrato, conseguimos uma inserção interessante no jornal Diário de São Paulo. 

O assessor Sérgio Dias acompanhou a visita da jornalista do Diário, que fez críticas positivas sobre o bar.

O Bar Pharelo é um dos pontos de referências da região da Grande São Paulo, popularmente conhecida como ABC.

O bar foi eleito o melhor chope de São Paulo e o segundo melhor do país. Para quem gosta de um bom chope gelado, não pode deixar de passar por lá. Só não esqueça de pedir uma boa picanha para acompanhar. Trata-se da especialidade da casa. Vale a pena conferir.

Dália Comunicação, sempre o melhor caminho.


Heródoto Barbeiro e suas Kombis fantásticas

Matéria publicada na edição especial de aniversário do jornal Alpha Autos

Matéria: Marcel Agarie e Sérgio Dias
Fotos: Sérgio Dias

Jornalista declara ser fã deste veículo há 37 anos

Heródoto Barbeiro impressiona pela simplicidade. Um dos jornalistas mais influentes do país, com programas na rádio CBN e na TV Cultura, nos recebeu para esta entrevista em duas oportunidades. A primeira no seu escritório, na redação da rádio CBN e a segunda em frente ao estádio do Pacaembú, com a sua Kombi.
Casado e pai de dois filhos ele tem na comida japonesa o seu prato favorito. Tem como religião o budismo e não seria exagero dizer que o time do Corinthians também é a sua segunda opção religiosa. Há adesivos do time em diversos objetos em seu escritório: controle remoto da televisão, TV, caixa de som, micro, monitor, carimbo etc.
Gosta de um bom samba e filmes de aventura como Indiana Jones. Não gosta de filmes onde existam grandes conflitos psicológicos. Trabalha na rádio CBN antes mesmo dela existir, pois foi um dos autores do seu projeto. A seguir a agradável entrevista com este ícone do jornalismo brasileiro.


Alpha Autos: Quem é mais velho, você ou o Juca Kfouri?
Heródoto: (risos) Eu sou mais velho que o Juca, até porque ele foi meu aluno no cursinho. Eu dava aula em cursinho e o Juca foi meu aluno. Eu estou com 62 o Juca deve estar com 58, acho, por ai. Ele mente a idade (risos).


Alpha Autos: De onde veio esta sua relação com Kombis?
Heródoto: Quando eu era moleque fui auxiliar de mecânico em uma mecânica que meu pai tinha no Parque D.Pedro II. Eu mexia com carros, não só com Kombis, mas também com carros antigos. Naquela época, eram carros americanos e você tinha que consertar de qualquer jeito. Então eu aprendi a consertar os carros de qualquer jeito. A mecânica era muito mais simples que hoje. Eu me lembro que eu trabalhava lá como auxiliar de mecânico quando chegava o primeiro Volkswagen no Brasil. Todo mundo dava risada, o pessoal olhava aquele fusquinha e todo mundo ria. Ninguém achava que aquilo ia ser o sucesso que foi. Depois conheci a Kombi. Para mim o motor Volkswagen era um motor simples, era um motor em que você colocava o motor no ponto. Naquela época com uma chave de fenda você colocava o motor no ponto.
Depois disso eu precisei fazer faculdade, acabei virando professor, quando num belo dia, já faz 36 anos, resolvi comprar um sítio na grande São Paulo, em Mogi das Cruzes. Era uma área de serra do mar, que não tinha estrada, eram só trilhas. Então comprei uma Kombi porque ela chegava lá, não ficava no barro e eu precisava transportar tudo, porque eu não tinha nada no sítio. Qualquer coisa eu tinha que transportar, até tijolo.


Alpha Autos: Como eram suas primeiras Kombis?
Heródoto: A minha primeira Kombi ainda era aquele vidrinho dividido em dois. O motor eu acho era um de 1200 cilindradas. O cabo do acelerador quebrava toda hora, só que não te deixava na mão, porque quando quebrava, eu ia lá no motor, acelerava a Kombi e ia embora. Hoje se acontecer isso com ela eu estou ferrado.
As primeiras Kombis eram sociedades minhas com meu irmão. Meu irmão tinha metade da Kombi e eu tinha outra metade. Fui ficando acostumado a carregar coisas na Kombi, porque é muito mais simples carregar coisas nela. Você faz viagens, ao invés de ir com 2 carros, você faz com uma Kombi só. Você junta o pessoal na Kombi, quando eu tinha meus sobrinhos, filhos pequenos, cabia todo mundo nela. A molecada adorava ir de Kombi. Eram 11 na Kombi.


Alpha Autos: Quantas Kombis você já teve?
Heródoto: Eu já comprei várias Kombis. Essa minha agora é nova. Mas acho que já é a minha quinta ou sexta Kombi. Muitas eu comprei velhas. Uma era tão velha que pegou fogo na Av. Paulista com a Rua Augusta (risos). A Kombi tem uma coisa curiosa. As pessoas brincam comigo e dizem que tenho a Kombi porque sou populista. A Kombi é um veículo onde o custo-benefício é muito bom. A minha eu paguei R$38 mil e você transporta na Kombi o que você não transporta em coisa nenhuma. Muitas vezes você tira aquele terceiro banco e aumenta o volume cúbico que é muito grande. E outra coisa! Todo mundo quer a Kombi emprestada. Meu filho quer a Kombi empresta. Todo mundo brinca com a Kombi e no final quer ela emprestada. Eu me acostumei e gosto dela. E pra mim pesa saber que é um veículo (pausa) ultrapassado, antigo. Mas para mim ela é muito útil.


Alpha Autos: Que cor era ela?
Heródoto: Acho que ela era azul e branco. Mas a mais colorida que eu tive, foi uma que eu comprei especial, que exportavam na época para o Iraque. Tinha algumas modificações, as janelinhas abriam, coisas que as Kombis não tinham. Só que a cor no Iraque era uma um azul escuro. Não sei por que razão. E eu tinha uma desta. E acontece que o serviço funerário de São Paulo também usava esta mesma cor. Então o pessoal batizou minha Kombi de funerária. Uma vez eu tinha uma reunião no Rio de Janeiro e encostei a Kombi aqui (na CBN) e depois sai correndo com ela para o Aeroporto. Chegando no farol que tem na frente do Aeroporto, um garotinho que estava vendendo alguma coisa, olhava, olhava e olhava dentro da Kombi, até que chegou uma hora que ele disse: Escuta tio, onde vai ser o enterro? (risos). Eu não tinha entendido nada, mas o pessoal aqui (da CBN) tinha feito grandes cruzes de papelão e colaram na Kombi sem eu saber.


Alpha Autos: O que as pessoas falam quando te encontram na rua dirigindo a Kombi?
Heródoto: Ah! Os caras brincam. Pra você ter uma idéia, certa vez estava no aeroporto, eu e minha mulher, e vi que tinha um cara com um laptop que estava me observando e ouvindo enquanto eu conversava com ela. Nisso eu falei para ela que a gente precisava voltar para Alemanha. E ela me indagou: Pois é, mas temos que alugar um carro. E eu respondi que tinha que ser um carro grande e ela me respondeu: você vai querer alugar uma Kombi? (risos). Nisso o cara do laptop levantou e me disse: Ah! Você é o Heródoto, né? Eu estava em dúvida, mas vi sua mulher falando da Kombi.



Alpha Autos: Você já foi barrado em eventos por causa da Kombi. Como isto aconteceu?
Heródoto: Isso já me aconteceu várias vezes. Aconteceu uma vez no Transamérica (hotel), eu fui dar uma palestra e fui de Kombi. O segurança não queria que eu deixasse a Kombi na frente do hotel. Daí eu fiquei discutindo com ele falando que precisava estacionar e ele dizia que eu não podia deixar a Kombi na frente do hotel. Até que consegui convencê-lo. Depois da palestra, voltei para frente do hotel e cadê a Kombi? Tinham colocado ela no fundo do hotel (risos).
Aconteceu também em uma feira de livros. Na Bienal do livro. Quando fui entrar no estacionamento o cara falou que não podia entrar porque tinha acabado o horário de descarregamento (risos). Eu estava com minha família e estávamos indo para a feira. Aliás, eu ia até lançar um livro naquele dia.


Alpha Autos: Tem outras histórias interessantes com a Kombi?
Heródoto: Ah! Tenho muitas histórias. Esta mesma Kombi azul, uma vez eu pintei a parte debaixo dela de amarelo. Ficou embaixo amarelo e a outra parte em azul. Daí ela virou a Bat-kombi (risos). E esta era a única Kombi desta cor, então em todo lugar que eu ia, o pessoal me reconhecia. Outro dia, um cara veio e me disse: pô, eu vi você lá na Dutra, sua Kombi não tem como não reconhecer (risos).


Alpha Autos: A Kombi é um veículo visado. Já teve alguma Kombi roubada?
Heródoto: Nunca tive uma Kombi roubada, mas porque nunca deixei na rua. Uma vez encontrei o presidente da Porto Seguro, Jayme Garfimkel e ele brincou comigo com esse negócio de Kombi. Daí falei para ele, você não quer segurar minha Kombi? Ele me respondeu: Deus me livre!
Eu nunca fiz seguro de Kombi porque o seguro deve valer tanto quanto a Kombi. Eu não deixo na rua porque o pessoal rouba mesmo.


Alpha Autos: Conhece alguma outra personalidade que tem esta mesma admiração por kombis?
Heródoto: De Kombi eu ainda não encontrei. Já encontrei o pessoal que tem Fusca, Godine. Mas eu não sou colecionador de carros. Eu uso a Kombi porque para mim é uma utilidade, pois eu vivo carregando coisas para a ONG. Eu não tenho uma Kombi histórica, do tipo para dizer esta aqui é uma Kombi, mil novecentos e sessenta e poucos, toda arrumadinha com pneu de faixa branca e com aquela mãozinha atrás fazendo tchau (risos).


Alpha Autos: E o Corinthians, consegue subir para a primeira divisão?
Heródoto: Olha. Nós estamos invictos. Inclusive o juiz deu uma mãozinha agora contra o Bragantino (Corinthians 1 x 1 Bragantino). Mas eu acho que volta sim. O Corinthians está muito ligado a estas duas coisas curiosas. Que a Kombi lembra um veículo popular e o Corinthians também é um time popular. E o meu trabalho também é popular. Acho que é uma coisa que se casa muito bem na outra.


Alpha Autos: Você tem adesivo do Corinthians na Kombi?
Heródoto: Tenho, tenho... (risos) 

Beleza nas pistas de skate


Matéria publicada na 3ªedição do jornal Na Pista

Matéria: Marcel Agarie
Foto: Arquivo pessoal Karen Jones

Mulheres falam das dificuldades de ser uma skatista no Brasil


Marcas e cicatrizes por todo o corpo não é nenhum problema para estas meninas, que mesmo diante de uma manobra difícil de acertar, não deixam de encantar muito marmanjo com suas belezas e suas manobras nas pistas de skate.

É evidente o crescimento do skate feminino no Brasil. Nas ruas e pistas espalhadas pelo país, já é comum se ver mulheres dividindo os mesmos picos com os homens.

O empresário e skatista Jorge Kuge acompanhou a trajetória do skate feminino desde a década de 80, quando a geração de Mônica Polistchuck e Denise Siqueira, pioneiras no vertical, arriscavam as primeiras manobras. Ele enxerga o crescimento da mulherada como algo natural. “As meninas sempre buscaram com muito esforço e dedicação seu espaço na cena do esporte em geral, e não poderia ser diferente no skate”, opina.

Por outro lado, o bicampeão mundial Ferrugem acredita que este crescimento no Brasil ainda está devagar. “Estive em um campeonato amador em Curitiba e no feminino só havia 2 meninas inscritas. Assisti o aquecimento delas e vi que andavam muito bem”, lamenta. Para o campeão, as mulheres poderiam estar melhores se tivessem mais incentivo.

Skatista há 13 anos, Christie Aleixo vê o número de adeptas aumentarem, porém ressalta a desatenção sobre elas. “Falta apoio para quem chega ao ponto de desenvolver trabalhos mais efetivos com a modalidade”, avisa.

Andando de skate há 3 anos, Fernanda Valiati reclama que muitos campeonatos não possuem categoria feminina. A jovem Jéssica Hoefler, de apenas 17 anos, 5 de skate, compartilha o mesmo pensamento da colega. “Geralmente não tem a categoria feminina nos campeonatos e isso prejudica bastante tanto o crescimento da categoria, quanto o desempenho das meninas”, ressalta.

Tatiane Marques, que se apresentou no X-Games Brasil deste ano, entende que a falta de um bom patrocínio são as maiores dificuldades das skatistas. Segundo ela, há poucos patrocinadores, e os que existem, acabam focando em poucos atletas e deixando a grande maioria de lado. Marques acrescenta que “isso resulta em muitas meninas a pararem de andar de skate e também em menos eventos direcionados para elas”.

Campeã Mundial em 2006, Karen Jones também concorda que faltam bons patrocínios, incentivo e eventos para o skate feminino. Por falta de competidoras, Jones disputou a bateria do último X-Games Brasil entre os homens e ficou feliz com a recepção que teve. “Considero como uma conquista não ter sido ‘excluída’ do evento, pelo contrário, todos fizeram questão que eu fizesse parte dele. Andei com muita vontade e fiquei muito feliz em perceber o reconhecimento do público e da mídia”.

Dividir as pistas com os homens não parece problema para nenhuma delas. Christie diz que sempre andou com eles e na hora de subir no shape, não tem essa de menino ou menina. “Skate é skate”.

Fernanda Valiati diz que os homens costumam respeitar, mas lembra que sempre tem os “sem-noção que atropelam as meninas como se fossem moleques”. Para Tatiane Marques, dividir um pico com a classe masculina é bom porque há muitos “skatistas bonitos”. Mas não é só isto não. Em seguida ela completa: “por serem mais agressivos, nos passam muita base. Aprendemos muito observando os meninos andando de skate”.

Para as meninas que estão iniciando, a jovem Jéssica pede para que não desistam com os hematomas que irão surgir na canelas. Usem equipamentos de segurança, para terem mais confiança. Christie dá uma dica mais filosófica. “Andem de skate sem ilusão. A prática e sua evolução pessoal é o mais importante. A sensação e a superação é você quem sentirá e desenvolverá. Ou seja, não se preocupem com as pessoas.”

Maiores informações sobre campeonatos e o que está rolando no skate feminino, visitem o site da Associação Brasileira de Skate Feminino, www.absfe.blogspot.com . 

SÉRGIO NEGÃO NA PISTA


Matéria publicada na primeira edição do jornal NA PISTA

Matéria: Marcel Agarie
Fotos: Juliano Carvalho

A pouco menos de um mês para completar 46 anos, Sérgio Fortunato de Paula, a lenda do skate brasileiro também conhecido como Sérgio Negão, recebeu a nossa equipe em São Bernardo do Campo para uma entrevista especial.

Com hábitos simples e uma carreira dedicada ao esporte, sua simplicidade esconde a importância que ele representa para o skate no Brasil. Gosta de uma boa feijoada e filmes de ficção científica. E vivendo no país do futebol, confessa sua simpatia pelo time do povo, o Corinthians. “Gosto do Corinthians, mas gostaria bem mais se eles me patrocinassem”, brinca.


Na Pista – São 28 anos de skate, 25 como profissional. É possível explicar o significado do skate na sua vida?
Sérgio Negão – É difícil definir com algumas palavras. É difícil porque ele faz parte praticamente da metade da minha vida. Ele entrou na minha vida para ficar. Como um filho mesmo. Entrou e ficou, não foi mais embora.

Na Pista – Pra complementar. Como surgiu o skate na sua vida?
Sérgio Negão - O skate surgiu na minha vida em meados de 79. Eu praticava natação. Fiz 15 anos de natação e como o local que eu praticava ficava meio longe da minha casa, no estádio Lauro Gomes, eu comecei usar como meio de locomoção o skate. Meu irmão tinha comprado um skate, mas deixava largado no canto e eu comecei a ir. Fui gostando, fui gostando, fui desinteressando da natação porque eu tinha alcançado onde eu queria chegar, então não tinha mais motivos para treinar natação.

Na Pista – O melhor momento (ou momentos) que o skate lhe proporcionou?
Sérgio Negão – os principais, duas vezes ser campeão brasileiro, duas vezes vice-campeão brasileiro, duas vezes medalha de bronze no X-Games Latino Americano e vai ai pelo mundo afora.

Na Pista – Que tipo de preparação você faz para o corpo e a mente antes das competições?
Sérgio Negão – No skate, por incrível que pareça, é totalmente mente. Se você está mal, brigou com a namorada, brigou com mãe, com os filhos, ou com qualquer pessoa, no trânsito antes de vir para o evento, você não vai andar bem. Porque você precisa da mente para fazer as manobras. Como exemplo, não é desculpa minha, mas no X-Games, um dia antes, eu briguei com todos mundo, chegando lá eu não sabia por onde começar minha linha. E já tinha treinado 4 meses a linha para me dar bem no X-Games, ir para a final, mas chegou na hora eu nem sabia por onde começar. Skate é isso, é totalmente mente, se você não tem uma mente sã, você não consegue.


Na Pista – Você se sente responsável pela popularidade do skate no Brasil?
Sérgio Negão – Minha parcela é continuar andando, mostrando para o pessoal que esporte é saúde, não tem idade, não tem sexo, não tem religião, não tem nada. Esporte é esporte, é vida, é saúde. Acho que minha contribuição é isso aí.

Na Pista – Quem são suas referências no skate?
Sérgio Negão – Minhas referências foi o pessoal da surfcraft, Cesinha Chaves, Ricardo Barbeiro, Jun Hashimoto, Cautai, Bola Sete, Formiga, esses eram os caras que mandavam bem na época, os caras que destruíram. Que trouxeram o skate para o Brasil, na verdade. Eles que mostraram o que era andar em uma pranchinha sem ser na água.

Na Pista – Para você, qual é o melhor skatista de todos os tempos?
Sérgio Negão – De todos os tempos Tony Hawk. Não surgiu e acho que vai ser difícil surgir um cara igual o Tony Hawk.

Na Pista – Como você viveu diversos períodos do skate brasileiro, qual é o balanço que você faz do momento atual do skate no Brasil?
Sérgio Negão – Acho que agora está pior. Em termos de equipamento, em termos de skate, está melhor. Em termos de patrocinador está pior. Na minha época, da Plâncton, quando eu comecei, eu ganhava dez salários mínimos para andar de skate. E hoje em dia, você não consegue chegar a este montante com um patrocinador só, entendeu? Precisa de vários para você chegar em um denominador que dê dez salários mínimos. Pra você viver de skate hoje é meio complicado. Consegue se você não viver aqui dentro do Brasil. Se você for pra fora você consegue uns patrocinadores um pouquinho melhores. Brasil que dizem que é a terra do esporte, que você pode praticar qualquer tipo de esporte, em um país onde não tem gelo a gente é bom até no gelo. Só falta os patrocinadores acreditarem na gente, entendeu? Pra você ver um exemplo. O skate que é o segundo esporte mais praticado no Brasil, só perde para o futebol, quer dizer, ele não é o segundo, ele é o primeiro porque o skate é individual e o futebol é coletivo. Não tem uma marca de tênis que patrocina skate nacional, não tem. O empresário brasileiro é meio, vamos dizer assim, cavalo (faz sinal mostrando o tapa-olho que os cavalos utilizam), não enxerga do lado, só pra frente. Aí ele não vê o que está perdendo. Quando alguém aparece com a idéia que eles pensam: ah, eu deveria ter investido.

Na Pista – Tem algum ídolo?
Sérgio Negão – Tenho vários ídolos. Minha filha, meu filho, minha mãe (risos).

Na Pista – Você foi o criador da manobra 540ºfrontside, que devido a dificuldade, poucos skatistas executavam esta manobra na época. Como foi ela surgiu?
Sérgio Negão – Esta manobra surgiu em um vídeo antigo da Power que eu estava assistindo. Eu vi o Tony Hawk fazendo, que era milerflip 540º. Que antes a gente dava milerfilp só, que voltava de costas. Ai o Tony Hawk inventou o milerflip 540º que voltava de frente. Aí, pensei: que manobra legal, vamos treinar. Como eu já tinha aprendido o milerflip, pensei: vou tentar dar o milerflip 540º. Aí, comecei a dar o milerflip 540º. Num certo campeonato, eu fui dar um milerflip 540º só que eu tinha muito gás. Aí fui por a mão na pista para poder dar a manobra e a mão passou. Aí surgiu o aéreo 540º. O frontside 540º. Assim que surgiu a manobra. Todo mundo fala que foi o Tony Hawk que inventou. Não! Ele inventou o milerflip 540º, o aéreo de from 540º fui eu que inventei.

Na Pista – Foi meio sem querer então?
Sérgio Negão – Foi sem querer. Pode dizer que foi sem querer.

Na Pista – Se você não fosse skatista, o que seria?
Sérgio Negão – Putz! Tenho tanta coisa que eu queria ser. Eu gostaria de ser engenheiro nuclear. (risos)

Na Pista – Pratica ou acompanha algum outro esporte?
Sérgio Negão – Eu gosto de esporte porque eu praticava natação. Eu gosto de mergulhar, gosto de surfar. Não surfo bem, né? A onda mais me pega do que eu pego ela (risos). Mas eu gosto de ficar no esporte. Tudo que é relacionado com água eu me dou bem.

Na Pista – Você percorreu diversos circuitos internacionais. Já sofreu algum tipo de preconceito por ser negro?
Sérgio Negão – Preconceito eu não sei muito bem o que é isso não. Porque se eu parar pra pensar é porque eu não estou tentando evoluir minha vida. Entendeu? A pessoa que está reparando no rabo da outra pessoa é porque não está evoluindo. Então eu acho que você tem que seguir um caminho. O caminho é Deus, você vai, e Deus te guia por aquele caminho lá independente se você é branco, negro, amarelo, vermelho. Deus deu um dom, você tem que seguir ele. Se Deus não condena, quem sou eu pra condenar?

Na Pista – A um mês para completar 46 anos, ainda cheio de gás. O Sérgio Negão faz planos para parar?
Sérgio Negão – Parar? Não sei. Depende de Deus. Tudo depende dele. Ele que fala a hora de começar, de parar, tudo depende dele. Enquanto ele der saúde, inteligência, vontade, garra, criatividade, é tudo Deus que manda. Quando ele falar assim: ô! Chegou a hora! – Ai não dá mais, né?

Na Pista – Algum sonho, ainda não realizado?
Sérgio Negão – Sonho? Eu estou querendo tentar uma manobra. Estou tentando, tentando, tentando, tentando. Vamos ver se eu consigo dar essa manobra.

Na Pista – Pode falar qual manobra que é?
Sérgio Negão – posso falar. É um 900º de from. Se eu acertar, vou ser o primeiro no mundo a dar um 900º de from.

Na Pista – Qual a mensagem que você manda para molecada que está começando agora a andar de skate para um dia serem um Sérgio Negão?
Sérgio Negão – Pra ser um Sérgio Negão, um Lincoln Ueda, um Sandro Dias, um Mike Tyson, um João do Pulo, tem que estudar. Sem estudo você não é nada. Tem que ter força de vontade, acreditar naquilo que você quer. Não adianta você fazer por fazer, porque você estará perdendo tempo da sua vida. E o tempo não volta.

Na Pista – Qual a sua opinião sobre o lançamento do jornal Na Pista, um jornal de esportes radicais e com distribuição gratuita?
Sérgio Negão – Eu acho que é importante porque os esportes radicais vieram para ficar. No mundo todo, todo mundo pratica, é a cara do jovem. São esportes que não tem nada a ver com os tradicionais. Este principio de vocês, do jornal, sendo o primeiro jornal, pois eu nunca ouvi falar de alguém que tivesse essa idéia, vocês estão de parabéns. Espero que continuem por muito e muito tempo. Quanto mais melhor!

Na Pista – Mande os seus agradecimentos
Sérgio Negão – Agradeço principalmente e acho que unicamente a Deus. Pois se eu estou aqui, se sou perfeito, sou inteligente, tudo tenho que dar graças a ele. Também graças aos meus pais que me colocaram em um caminho, graças aos meus amigos que me incentivaram, graças ao público que me incentiva cada vez mais que eu continue a praticar o esporte que eu gosto, afinal, o que eu iria praticar sem ser o skate? Acho que todo mundo está de parabéns, desde o maior amigo ao menor amigo. Acho que todos estão de parabéns e agradeço por ter eles na minha vida.